domingo, 7 de outubro de 2018

Lewis Hamilton vence no Japão

Mercedes sobra e inglês amplia ainda mais a vantagem na liderança

Saindo na pole, o atual líder do certame faltou apenas a melhor volta para garantir o famoso grand chelem em Suzuka. Desta vez, sem ordem vinda dos boxes, Valtteri Bottas garantiu mais uma dobradinha da Mercedes. A Red Bull foi a segunda força em solo japonês, com os dois pilotos ficando nos lugares a seguir. O holandês Max Verstappen completou o pódio. Largando nas últimas posições no grid, Daniel Ricciardo conseguiu um 4º lugar.

A Ferrari, apesar do erro de Sebastian Vettel nas primeiras voltas, ainda ficou com o 5º posto de Kimi Raikkonen e a 6ª posição do competidor germânico. O vice-líder do certame tocou na Red Bull de Verstappen e rodou, caindo para o final do pelotão, mas ainda se recuperou para garantir mais oito pontos.

Correndo em casa, a Honda levou os dois carros da Toro Rosso a fase final da classificação, mas perdeu a chance de pontuar nos giros finais, quando o espanhol Carlos Sainz Junior ultrapassou Pierre Gasly, dando o último ponto ao time francês. A dupla Sergio Perez e Esteban Ocon voltou a somar pontos, deixando a Racing Point com boas chances de terminar o mundial de equipes entre as seis melhores. O mexicano ficou com o 7º posto, enquanto o gaulês, ainda sem lugar para o próximo ano, cruzou a linha de chegada na 9ª colocação, separados pela Haas de Romain Grosjean. Assim como nas duas temporadas anteriores, a escuderia outrora comandada por Vijay Mallya vem evoluindo na parte final do campeonato, porém, com a venda da Force India e a perda dos pontos conquistados até a Hungria, provavelmente impedirá mais uma 4ª posição entre os construtores.

Resultados:

Pole: Lewis Hamilton, Mercedes
Melhor Volta: Sebastian Vettel, Ferrari

Corrida:
1º) Lewis Hamilton, Mercedes
2º) Valtteri Bottas, Mercedes
3º) Max Verstappen, Red Bull TAG Heuer
4º) Daniel Ricciardo, Red Bull TAG Heuer
5º) Kimi Raikkonen, Ferrari
6º) Sebastian Vettel, Ferrari
7º) Sergio Perez, Racing Point Force India Mercedes
8º) Romain Grosjean, Haas Ferrari
9º) Esteban Ocon, Racing Point Force India Mercedes
10º) Carlos Sainz Junior, Renault

Classificação

Mundial de Pilotos
1º) Lewis Hamilton, 331 pontos
2º) Sebastian Vettel, 264 pontos
3º) Valtteri Bottas, 207 pontos
4º) Kimi Raikkonen, 196 pontos
5º) Max Verstappen, 173 pontos
6º) Daniel Ricciardo, 146 pontos
7º) Sergio Perez, 53 pontos
8º) Kevin Magnussen, 53 pontos
9º) Nico Hulkenberg, 53 pontos
10º) Fernando Alonso, 50 pontos
11º) Esteban Ocon, 47 pontos
12º) Carlos Sainz Junior, 39 pontos
13º) Romain Grosjean, 31 pontos
14º) Pierre Gasly, 28 pontos
15º) Charles Leclerc, 21 pontos
16º) Stoffel Vandoorne, 8 pontos
17º) Lance Stroll, 6 pontos
18º) Marcus Ericsson, 6 pontos
19º) Brendon Hartley, 2 pontos
20º) Sergey Sirotkin, 1 ponto

Mundial de Construtores
1º) Mercedes, 538 pontos
2º) Ferrari, 460 pontos
3º) Red Bull TAG Heuer, 319 pontos
4º) Renault, 92 pontos
5º) Haas Ferrari, 84 pontos
6º) McLaren Renault, 58 pontos
7º) Racing Point Force India, 43 pontos
8º) Toro Rosso Honda, 28 pontos
9º) Sauber Alfa Romeo, 26 pontos
10º) Williams Mercedes, 5 pontos
11º) Force India Mercedes, 0 (59) pontos

domingo, 30 de setembro de 2018

Lewis Hamilton vence na Rússia

Ordem de equipe ofusca atuação do time prateado em Sochi

Saindo na pole, o finlandês Valtteri Bottas seguir na frente do companheiro de equipe, até ordem dos boxes, quando o nórdico cedeu ao líder do campeonato o 2º lugar, enquanto Max Verstappen seguia na frente, até parar para trocar pneus, deixando o caminho livre para a dobradinha das flechas de prata. A vitória deixou o inglês com 50 pontos de vantagem para Sebastian Vettel, que completou o pódio. A outra Ferrari, de Kimi Raikkonen, cruzou a linha de chegada em um solitário 4º posto. A dupla da Red Bull, mesmo punida por trocar componentes do motor, ainda ficaram atrás dos carros vermelhos, com uma atuação destacada do holandês.

O novo contratado da escuderia de Maranello, Charles Leclerc, levou a Sauber a 7ª posição, enquanto o dinamarquês Kevin Magnussen terminou na 8ª colocação, garantindo mais quatro pontos para a Haas. A Force India fechou a zona de pontuação, com o francês Esteban Ocon a frente do colega mexicano Sergio Perez. A equipe adquirida por Lawrence Stroll ainda tem boas chances de chegar ao 6º lugar entre os construtores.

A única equipe a não completar a disputa foi a Toro Rosso. Ambos completaram apenas quatro giros e ficaram fora da prova.

Resultados:

Pole: Valtteri Bottas, Mercedes
Melhor Volta: Valtteri Bottas, Mercedes

Corrida:
1º) Lewis Hamilton, Mercedes
2º) Valtteri Bottas, Mercedes
3º) Sebastian Vettel, Ferrari
4º) Kimi Raikkonen, Ferrari
5º) Max Verstappen, Red Bull TAG Heuer
6º) Daniel Ricciardo, Red Bull TAG Heuer
7º) Charles Leclerc, Sauber Alfa Romeo
8º) Kevin Magnussen, Haas Ferrari
9º) Esteban Ocon, Racing Point Force India Mercedes
10º) Sergio Perez, Racing Point Force India Mercedes

Classificação

Mundial de Pilotos
1º) Lewis Hamilton, 306 pontos
2º) Sebastian Vettel, 256 pontos
3º) Valtteri Bottas, 189 pontos
4º) Kimi Raikkonen, 186 pontos
5º) Max Verstappen, 158 pontos
6º) Daniel Ricciardo, 134 pontos
7º) Kevin Magnussen, 53 pontos
8º) Nico Hulkenberg, 53 pontos
9º) Fernando Alonso, 50 pontos
10º) Sergio Perez, 46 pontos
11º) Esteban Ocon, 45 pontos
12º) Carlos Sainz Junior, 38 pontos
13º) Pierre Gasly, 28 pontos
14º) Romain Grosjean, 27 pontos
15º) Charles Leclerc, 21 pontos
16º) Stoffel Vandoorne, 8 pontos
17º) Marcus Ericsson, 6 pontos
18º) Lance Stroll, 5 pontos
19º) Brendon Hartley, 2 pontos
20º) Sergey Sirotkin, 1 ponto

Mundial de Construtores
1º) Mercedes, 495 pontos
2º) Ferrari, 442 pontos
3º) Red Bull TAG Heuer, 292 pontos
4º) Renault, 91 pontos
5º) Haas Ferrari, 80 pontos
6º) McLaren Renault, 58 pontos
7º) Racing Point Force India, 35 pontos
8º) Toro Rosso Honda, 28 pontos
9º) Sauber Alfa Romeo, 26 pontos
10º) Williams Mercedes, 5 pontos
11º) Force India Mercedes, 0 (59) pontos

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Entrevista com Antônio Carlos Cunha

Entrevista com Antônio Carlos da Cunha, o Carlinhos

Professor de Artes e coordenador do Boi de Mamão do Sambaqui, Carlinhos fala sobre a formação do grupo e a importância artística e cultural para a comunidade.

Data da entrevista: 7/9/2018
Evento: Festa do Divino Espírito Santo 2018, em Santo Antônio de Lisboa

Carlinhos
Foto: Diego Wendhausen Passos


Como e quando surgiu a ideia de formar o grupo Boi de Mamão do Sambaqui?

O grupo Boi de Mamão do Sambaqui, ele foi formado em 1983, por um grupo que se chamava Defesa da Ponta do Sambaqui. Era formado alguns moradores da comunidade, jovens na época, e como a gente tinha um problema sério com um empreendimento que queria ser instalado na localidade, um Iate Clube, estávamos formando um movimento que surgiu também com a proposta de mobilizar o bairro para outras reivindicações, assim como o Casarão, que era da antiga alfândega, depois passou para a Receita Federal. E naquele período, em 1984, passando um ano depois, a gente conseguiu o Casarão para a comunidade. Atualmente é a nossa sede cultural. O Boi de Mamão fez parte disso tudo. Sempre esteve ativo nas necessidades da região.

Em quais são os tipos de eventos e festas o Boi de Mamão do Sambaqui costuma participar?

Participamos de vários eventos, quando somos convidados, mas também dançamos muito em comunidades, em festas juninas, às vezes em eventos também, no Centro da cidade, em festas culturais, como em São José, na Feira de São José, que acontece a cada 15 dias. Em vários lugares, inclusive para São Paulo também, encontro de folclore. O Boi de Mamão não tem uma época específica para ser apresentado. Basta solicitar que realizamos apresentação, porque esse é um trabalho realizado a nível de manter a identidade da nossa comunidade. A gente preserva e estamos sempre ativos.

Na sua visão, qual a importância cultural e artística do grupo para com a comunidade?

A importância disso é grande. É algo fundamental para a comunidade, por que na medida que você tem as suas raízes culturais, dentro da localidade, você não perde a identidade. Vai ter sempre aquele lugar como referência, como nós temos atualmente. O folclore é muito acentuado na nossa região, pois temos umas das comunidades que tem um grupo folclórico que trabalha com várias danças, como a dança do boi de mamão, a dança do pau-de-fita, a dança da ratoeira, a dança do balaio, a dança da peneira, então, acho que hoje na ilha é um dos focos centrais, é a nossa comunidade.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Entrevista com Sérgio Luiz Ferreira

Historiador, filósofo e professor universitário fala sobre o contexto histórico e cultural da Festa do Divino Espírito Santo

Data da entrevista: 8/9/2018
Evento: Festa do Divino Espírito Santo 2018, em Santo Antônio de Lisboa

Sérgio Luiz Ferreira
Foto: Diego Wendhausen Passos


Como e em qual contexto histórico surgiu a Festa do Divino Espírito Santo?

O Divino Espírito Santo surgiu na Idade Média, no contexto do surgimento das ordens franciscanas, que entre havia o Frei Joaquim de Fiore, classificando a humanidade se dividia em três idades. A idade do pai, que é o Antigo Testamento, a autoridade, a idade do filho, que é o Novo Testamento, tem Jesus e seus discípulos, que convida os seres humanos para serem seus apóstolos, e haveria a idade do Espírito Santo, que é a idade em que não haveria mais hierarquia, que todo mundo seria igual. Então, surge com esse princípio, de que todos são iguais perante a Deus.

Quais são as principais contribuições históricas, culturais e religiosas que o evento traz ao longo dos séculos?

Em cada lugar, a Festa do Espírito Santo vai adquirindo características diferentes. Nos Açores é bem diferente do que se faz aqui. Em Santo Antônio de Lisboa, já há alguns anos, aliamos a essa festa, que é religiosa, com a cultura também. Nós temos uma semana cultural intensa, de valorização dessa religiosidade açoriana com a cultura da ilha.

Na sua visão, que tipo de influência a festividade deixa para as comunidades onde são realizadas?

Em cada comunidade ela se caracteriza de um jeito. Em Santo Antônio, ela é o momento para as pessoas que não moram na localidade, retornarem. É o dia do encontro, é a maior celebração anual da nossa comunidade.

domingo, 16 de setembro de 2018

Lewis Hamilton vence em Cingapura

Britânico mais uma vez bate favoritismo ferrarista

Depois de conquistar a pole em uma volta precisa, Lewis Hamilton garantiu a 79ª pole da carreira, e manteve a dianteira durante praticamente toda a disputa, perdendo apenas quando precisou parar para trocar pneus. Partindo ao lado do piloto inglês na primeira fila, o holandês Max Verstappen chegou a ser alcançado por Sebastian Vettel, mas o competidor batavo recuperou a 2ª posição após as passagens pelos pits, com o alemão completando o pódio. As seis primeiras colocações ficaram com as três melhores equipes. A dupla finlandesa, com Valtteri Bottas a frente de Kimi Raikkonen, seguidos pelo australiano Daniel Ricciardo, que apesar de liderar por alguns giros, cruzou a linha de chegada em 6º lugar.

A única intervenção do safety car ocorreu logo na volta de abertura, em um toque entre a dupla Sergio Perez e Esteban Ocon, deixando o francês fora da prova, tirando a chance do time adquirido por Lawrence Stroll somar mais pontos. O mexicano voltou a se envolver em polêmica ao longo da corrida, após tocar na Williams de Sergey Sirotkin, tendo que trocar um pneu furado e ainda passando para cumprir uma passagem como punição ao bater deliberadamente no carro do russo. Outra equipe a pontuar com os dois carros foi a Renault, com Carlos Sainz Junior no 8º posto, enquanto Nico Hulkenberg fechou a zona de pontuação.

Contratado para a Ferrari para o lugar de Kimi Raikkonen em 2019, o monegasco Charles Leclerc garantiu dois pontos para a Sauber, voltando a ter uma atuação destacada. O time suíço, assim como a McLaren, foram as equipes que adotaram a estratégia de partir com os compostos super macios, mantendo-se na pista por dois terços da competição, garantindo um bom avanço no pelotão. O sueco Marcus Ericsson bateu na trave, em 11º, assim como o belga Stoffel Vandoorne, em 12º lugar. O espanhol Fernando Alonso, aproveitando-se também dos contratempos dos principais oponentes, foi o principal beneficiado, ao alongar a parada nos boxes, sobrando em um tranquilo 7º posto, melhor resultado do asturiano desde o Azerbaijão. O asturiano foi o único a terminar na mesma volta do top 6.

Em duas semanas agitadas na dança das cadeiras, onde nomes como Pascal Wehrlein, Esteban Ocon e Stoffel Vandoorne ainda buscam um lugar para o próximo ano, a Sauber confirmou o retorno do campeão de 2007, Kimi Raikkonen, ao time pelo qual estreou na categoria em 2001, para um contrato de dois anos. Os helvéticos ainda tem uma vaga aberta, e três nomes estão sondados a assumir o posto, o italiano Antonio Giovinazzi, Vandoorne, pela ligação com o diretor do time, Frederic Vasseur, que trabalhou com o belga na Fórmula 2, em 2015, ou manter o atual piloto, Marcus Ericsson. A McLaren confirmou o britânico Lando Norris, que faz parte do desenvolvimento da equipe de Woking, ao lado de Carlos Sainz Junior. Williams, Racing Point e Toro Rosso ainda não confirmaram as vagas a serem ocupadas na  próxima temporada.

Resultados:

Pole: Lewis Hamilton, Mercedes
Melhor Volta: Kevin Magnussen, Haas Ferrari

Corrida:
1º) Lewis Hamilton, Mercedes
2º) Max Verstappen, Red Bull TAG Heuer
3º) Sebastian Vettel, Ferrari
4º) Valtteri Bottas, Mercedes
5º) Kimi Raikkonen, Ferrari
6º) Daniel Ricciardo, Red Bull TAG Heuer
7º) Fernando Alonso, McLaren Renault
8º) Carlos Sainz Junior, Renault
9º) Charles Leclerc, Sauber Alfa Romeo
10º) Nico Hulkenberg, Renault

Classificação

Mundial de Pilotos
1º) Lewis Hamilton, 281 pontos
2º) Sebastian Vettel, 241 pontos
3º) Kimi Raikkonen, 174 pontos
4º) Valtteri Bottas, 171 pontos
5º) Max Verstappen, 148 pontos
6º) Daniel Ricciardo, 126 pontos
7º) Nico Hulkenberg, 53 pontos
8º) Fernando Alonso, 50 pontos
9º) Kevin Magnussen, 49 pontos
10º) Sergio Perez, 46 pontos
11º) Esteban Ocon, 45 pontos
12º) Carlos Sainz Junior, 36 pontos
13º) Pierre Gasly, 28 pontos
14º) Romain Grosjean, 27 pontos
15º) Charles Leclerc, 15 pontos
16º) Stoffel Vandoorne, 8 pontos
17º) Lance Stroll, 6 pontos
18º) Marcus Ericsson, 6 pontos
19º) Brendon Hartley, 2 pontos
20º) Sergey Sirotkin, 1 ponto

Mundial de Construtores
1º) Mercedes, 452 pontos
2º) Ferrari, 415 pontos
3º) Red Bull TAG Heuer, 274 pontos
4º) Renault, 91 pontos
5º) Haas Ferrari, 76 pontos
6º) McLaren Renault, 58 pontos
7º) Racing Point Force India, 32 pontos
8º) Toro Rosso Honda, 30 pontos
9º) Sauber Alfa Romeo, 21 pontos
10º) Williams Mercedes, 7 pontos
11º) Force India Mercedes, 0 (59) pontos

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Festa do Divino 2018: Santo Antônio de Lisboa

A Festa do Divino Espírito Santo de 2018, realizada em Santo Antônio de Lisboa, iniciou, com a Divina Farinhada, no Engenho dos Andrade, no Caminho dos Açores. Culinária, música, religião e atividades culturais embalam o evento.

Na parte musical, o grupo Trio de Sambaqui, composto por André Berté, Julio Córdoba e Herlano Reis da Rosa iniciaram no palco. Formado há pouco mais de um ano, o vocalista André frisou que o conjunto trabalha com música autoral, criadas pelos próprios integrantes, e participa em atividades noturnas em bares, principais opções oferecidas em Florianópolis.

Na sequência, o Tons de Sambaqui, composto por Guilherme Cardozo no vocal, também participante da Banda Cruzzy, outra atração do evento, Clóves das Neves, no violão, Vinícius Cromianski, na percussão, e Herlano da Rosa, que também faz parte do Trio Sambaqui, na gaita de boca e na flauta. O grupo, que havia participado também ano passado, trouxe ao palco, clássicos da música internacional, com destaque para Creedence Clearwater, e do popular e rock nacional, com destaque para Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Titãs e Nenhum de Nós. Apesar da chuva, o público foi razoável.

A Associação Coral de Florianópolis, também marcou presença na edição de 2018, oferecendo um concerto açoriano. Servidor aposentado da Celesc e presidente da entidade durante mais de 10 anos, Luiz Gonzaga Azevedo frisou as participações do grupo em diversos eventos festivos e culturais, como a própria Festa do Divino, Festa da Laranja, entre outros eventos religiosos e festivos.


 Associação Coral de Florianópolis
Foto: Diego Wendhausen Passos


Presente há algumas edições no evento, a Banda Cruzzy contou com uma nova participante. A estudante universitária Tamyres Meyer, vocalista, moradora da Barra do Sambaqui entrou no conjunto no começo do ano. Tamyres contou que a paixão pela música vem desde a infância, quando tocava violão em casa, nas festas com o pai, passando na adolescência a cantar na Igreja no bairro, recebendo o convite do também vocalista da banda, Guilherme Cardozo.

Fundada em Santo Amaro da Imperatriz, e atualmente sediada em Palhoça, o Grupo Fronteiras embalou com o repertório sertanejo e letras tradicionais da música gaúcha. Elton Eder da Silva, proprietário do Fronteiras, pontua que seu grupo vai em qualquer evento que for convidado, como festas, formaturas, bailes e jantar dançante, e segue um repertório tradicionalista. A Banda Origins, de Curitiba, também marcou presença nos palcos do Divino. Thiago da Paz Vargas disse que o conjunto gosta das músicas que levantam o público, e das apresentações em festas populares e formaturas são as principais atividades que se concentram.

Marcada como encontro de moradores e ex-moradores da região, a festividade chamou atenção de pessoas que vieram morar na comunidade. A Administradora Financeira Eda Montanha Viegas, moradora de Santo Antônio neste ano, exaltou a divulgação e a preservação da cultura, indo ao evento para conhecer de perto. O casal Géssica Caroline da Silva, Técnica em Segurança do Trabalho, e o namorado, Arno Ribeiro da Silva, advogado, destacaram o ambiente e a familiaridade da festa, elogiando a organização e as atrações oferecidas ao público. Morador de Sambaqui desde a infância, o garçom Durval Cunha Martins participa desde criança, e vê a festa como uma confraternização para a comunidade. Moradora da Barra do Sambaqui e personagem histórica, a rendeira Rosa dos Santos Cruz, a Rosinha, vende os pães de massa há cinco anos, e há sete décadas não perde uma edição do evento. Rosinha conta que presenciou muitas mudanças ao longo dos anos, destacando a organização da festa, antigamente muito mais simples, e atualmente considera um luxo o evento, considerando a coroação da Nossa Senhora como o evento mais importante da festividade.

O historiador, filósofo e professor universitário, Sérgio Luiz Ferreira, pontua que a Festa do Divino do Espírito Santo surgiu na Idade Média, em Alenquer, pelo franciscano Joaquim de Fiore. Em razão da intensa atividade cultural, Sérgio pontua que o bairro tem “uma semana cultural intensa, valorizando a religiosidade e a cultura da ilha”.
Boi de Mamão do Pantanal
Foto: Diego Wendhausen Passos

Duas atrações culturais presentes são o Boi de Mamão, do Pantanal e de Sambaqui, como também o Olaria Pau-de-Fita. Fundado em 2002, Angela Maria da Cunha destaca a manutenção da cultura e do folclore de Florianópolis pelo pau-de-fita. Frequentador dos carnavais na região, Jefferson Luiz de Assis conta que apresentou mais de 10 vezes em Santo Antônio de Lisboa, pelo Boi de Mamão do Pantanal. O de Sambaqui, liderado pelo professor de Artes, Antônio Carlos da Cunha, Carlinhos, sintetizou as lutas que originaram o início do grupo, por interesses culturais e históricos, como a conquista do antigo casarão da Alfândega para a comunidade, que abriga também as rendeiras e diversas atividades ligadas ao folclore e preservação do patrimônio cultural.

domingo, 2 de setembro de 2018

Lewis Hamilton vence na Itália

Inglês supera Ferrari em Monza e amplia liderança

Largando de forma arrojada, Lewis Hamilton travou disputa com a dupla ferrarista, tomando o 2º posto de Sebastian Vettel na chicane Della Roggia, tocando no carro vermelho e provocando a rodada do piloto tedesco. O alemão, aproveitando-se da punição de cinco segundos a Max Verstappen, que tocou em Valtteri Bottas, ao se defender, jogando o nórdico para fora da pista. Com a punição, o batavo ficou com a 5ª posição, enquanto a dupla finlandesa fez companhia ao líder do certame no pódio, com Kimi Raikkonen em 2º lugar, após uma boa corrida, mas não conseguiu segurar a escalada de Hamilton, que vem aproveitando bem as oportunidades e as estratégias da Mercedes.

A Red Bull mais uma vez andou forte e deu trabalho às escuderias vermelho e prateada, mesmo com novos problemas com Daniel Ricciardo, na metade da disputa.

Além do toque entre Hamilton e Vettel, Brendon Hartley teve um toque na largada, provocando a única intervenção do carro de segurança, que permaneceu na pista por dois giros.

No pelotão intermediário, a Williams andou bem. O time de Grove chegou pela primeira vez na temporada a fase final da classificação, com o canadense Lance Stroll, em 9º, enquanto o russo Sergey Sirotkin pontuou pela primeira vez na carreira, garantindo um final de semana positivo para os ingleses. A Racing Point, mais uma vez levou a dupla a zona de pontuação, com o mexicano Sergio Perez, em 7º lugar, logo a atrás de Esteban Ocon. A Haas, com a 6ª colocação de Romain Grosjean, teria alcançou a Renault no mundial de construtores, mas devido a irregularidades no assoalho do bólido ianque, o competidor francês foi desclassificado. Os gauleses ainda faturaram quatro tentos, com a 8ª posição do espanhol Carlos Sainz Junior.

Resultados:

Pole: Sebastian Vettel, Ferrari
Melhor Volta: Lewis Hamilton, Mercedes

Corrida:
1º) Lewis Hamilton, Mercedes
2º) Kimi Raikkonen, Ferrari
3º) Valtteri Bottas, Mercedes
4º) Sebastian Vettel, Ferrari
5º) Max Verstappen, Red Bull TAG Heuer
6º) Esteban Ocon, Racing Poni Force India Mercedes
7º) Sergio Perez, Racing Point Force India Mercedes
8º) Carlos Sainz Junior, Renault
9º) Lance Stroll, Williams Mercedes
10º) Sergey Sirotkin, Williams Mercedes

Classificação

Mundial de Pilotos
1º) Lewis Hamilton, 256 pontos
2º) Sebastian Vettel, 226 pontos
3º) Kimi Raikkonen, 164 pontos
4º) Valtteri Bottas, 159 pontos
5º) Max Verstappen, 130 pontos
6º) Daniel Ricciardo, 118 pontos
7º) Nico Hulkenberg, 52 pontos
8º) Kevin Magnussen, 49 pontos
9º) Sergio Perez, 46 pontos
10º) Esteban Ocon, 45 pontos
11º) Fernando Alonso, 44 pontos
12º) Carlos Sainz Junior, 34 pontos
13º) Pierre Gasly, 28 pontos
14º) Romain Grosjean, 27 pontos
15º) Charles Leclerc, 13 pontos
16º) Stoffel Vandoorne, 8 pontos
17º) Lance Stroll, 6 pontos
18º) Marcus Ericsson, 6 pontos
19º) Brendon Hartley, 2 pontos
20º) Sergey Sirotkin, 1 ponto

Mundial de Construtores
1º) Mercedes, 415 pontos
2º) Ferrari, 390 pontos
3º) Red Bull TAG Heuer, 248 pontos
4º) Renault, 86 pontos
5º) Haas Ferrari, 76 pontos
6º) McLaren Renault, 52 pontos
7º) Racing Point Force India, 32 pontos
8º) Toro Rosso Honda, 30 pontos
9º) Sauber Alfa Romeo, 19 pontos
10º) Williams Mercedes, 7 pontos
11º) Force India Mercedes, 0 (59) pontos

domingo, 26 de agosto de 2018

Sebastian Vettel vence na Bélgica

Alemão garante a vitória com ultrapassagem na volta de abertura

Depois de perder a pole nos instantes finais da classificação, Sebastian Vettel superou Lewis Hamilton ainda no giro inicial. O líder do campeonato ainda cruzou a linha de chegada na 2ª posição, cabendo ao holandês Max Verstappen completou o pódio. O finlandês Valtteri Bottas fez uma corrida de recuperação, largando do final do grid, após trocar componentes do motor da flecha de prata. O compatriota, Kimi Raikkonen, teve a corrida comprometida na primeira curva, quando foi tocado por Daniel Ricciardo, que tocou na Ferrari. O nórdico, com a asa traseira danificada, parou depois de nove voltas de disputa, enquanto o australiano, que estava em último e uma volta atrás, encerrou a participação com 29 voltas.

O final de semana da Renault foi ruim. Carlos Sainz Junior, que substituirá Fernando Alonso na McLaren ano que vem, largou do fundo do grid, e não pontuou, enquanto o alemão Nico Hulkenberg perdeu o ponto de freada na La Source, tirando Alonso e Charles Leclerc logo de cara, provocando a única intervenção do carro de segurança, que permaneceu na pista por cinco giros.

Mesmo diante de toda a crise administrativa e política, a ingressante Racing Point foi muito bem na classificação e na prova, colocando ambos pilotos na 2ª fila, e na corrida, atrás das três grandes, com o mexicano Sergio Perez a frente de Esteban Ocon, colocando a Williams de volta a lanterna no mundial de construtores. Por ironia, os três times que se opuseram a entrada da equipe liderada por Lawrence Stroll foram as que saíram sem pontos de solo belga. A Haas teve uma atuação honesta, com a 7ª colocação de Romain Grosjean, a frente do colega Kevin Magnussen. A Toro Rosso garantiu dois pontos com Pierre Gasly, cabendo ao sueco Marcus Ericsson fechar a zona de pontuação, compensando o azar do companheiro de garagem.

Na dança das cadeiras, o belga Stoffel Vandoorne teve um final de semana muito ruim, ficando com o pior tempo do grid, sendo cotado a ficar sem vaga antes do término do campeonato. Sem um carro capaz de fazer algo de produtivo, cruzou a linha de chegada em último, atrás da dupla da Williams. O calvário em Woking parece não ter fim, e nenhuma atualização de chassi desde a Espanha. Muito terá que ser feito se os ingleses quiserem voltar a ser um time minimamente mediano.

Resultados:

Pole: Sebastian Vettel, Ferrari
Melhor Volta: Valtteri Bottas, Mercedes

Corrida:
1º) Sebastian Vettel, Ferrari
2º) Lewis Hamilton, Mercedes
3º) Max Verstappen, Red Bull TAG Heuer
4º) Valtteri Bottas, Mercedes
5º) Sergio Perez, Racing Point Force India Mercedes
6º) Esteban Ocon, Racing Poni Force India Mercedes
7º) Romain Grosjean, Haas Ferrari
8º) Kevin Magnussen, Haas Ferrari
9º) Pierre Gasly, Toro Rosso Honda
10º) Marcus Ericsson, Sauber Alfa Romeo

Classificação

Mundial de Pilotos
1º) Lewis Hamilton, 231 pontos
2º) Sebastian Vettel, 214 pontos
3º) Kimi Raikkonen, 146 pontos
4º) Valtteri Bottas, 144 pontos
5º) Max Verstappen, 120 pontos
6º) Daniel Ricciardo, 118 pontos
7º) Nico Hulkenberg, 52 pontos
8º) Kevin Magnussen, 49 pontos
9º) Fernando Alonso, 44 pontos
10º) Sergio Perez, 40 pontos
11º) Esteban Ocon, 37 pontos
12º) Carlos Sainz Junior, 30 pontos
13º) Pierre Gasly, 28 pontos
14º) Romain Grosjean, 27 pontos
15º) Charles Leclerc, 13 pontos
16º) Stoffel Vandoorne, 8 pontos
17º) Marcus Ericsson, 6 pontos
18º) Lance Stroll, 4 pontos
19º) Brendon Hartley, 2 pontos

Mundial de Construtores
1º) Mercedes, 375 pontos
2º) Ferrari, 360 pontos
3º) Red Bull TAG Heuer, 238 pontos
4º) Renault, 82 pontos
5º) Haas Ferrari, 76 pontos
6º) McLaren Renault, 52 pontos
7º) Toro Rosso Honda, 28 pontos
8º) Racing Point Force India, 18 pontos
9º) Sauber Alfa Romeo, 18 pontos
10º) Williams Mercedes, 4 pontos
11º) Force India Mercedes, 0 (59) pontos

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Notícias da Fórmula 1

Férias movimentadas no certame agitaram os bastidores

O tão esperado anúncio de Fernando Alonso, a mudança de equipe do australiano Daniel Ricciardo, a venda da Force India, que estava próxima da falência, e as possíveis mudanças entre carros e pilotos da Bélgica para a Itália tornaram o período de silly season ainda mais atrativo ao público.

Fernando Alonso deixa a Fórmula 1 ao término da temporada e Daniel Ricciardo vai para a Renault

O anúncio mais aguardado, com grande destaque na mídia, o espanhol Fernando Alonso sai da categoria e vai para a Fórmula Indy, competindo pela equipe Harding, em parceria com a McLaren, a Andretti e a Chevrolet, sonhando em fechar a tríplice coroa do automobilismo internacional, as 500 Milhas de Indianápolis, já que o asturiano venceu em Mônaco e as 24 Horas de Lemans, no mundial de Endurance. Sendo assim, a equipe inglesa anunciou Carlos Sainz Junior para o lugar do asturiano, enquanto a segunda vaga está sendo disputada por Stoffel Vandoorne, Lando Norris, além de outros nomes como a dupla da Force India, Esteban Ocon e Sergio Perez.

Outro nome em boa cotação que anunciou mudanças para 2019 foi Daniel Ricciardo, que compete desde 2014 pela Red Bull. O australiano parte para a Renault, que investe para voltar ao topo. Já os austríacos, optaram por promover Pierre Gasly ao time principal, enquanto na filial estão cotados nomes como o belga Stoffel Vandoorne (atualmente na McLaren) e o britânico George Russel (do programa da Mercedes), ou até trazer Dan Ticktum, da academia de pilotos rubrotaurina.

Force India é vendida a grupo liderado por Lawrence Stroll

O grupo liderado pelo empresário canadense, pai do piloto da Williams, Lance Stroll, assumiu o comando da escuderia Force India, que estava sob administração judicial, após as dívidas milionárias contraídas pelo antigo dono do time, Vijay Mallya, proprietário da Kingfisher, além do grupo Sahara, parte do nome oficial da agremiação automobilística. O indiano está na Inglaterra, e caso seja extraditado ao solo hindu, será preso por inúmeras dívidas com o fisco do país asiático. Após uma aquisição controversa e conturbada, a nova equipe passará a se chamar Racing Point, começando sem pontos o mundial de construtores, pois McLaren, Renault e Williams foram contrárias a ingressante herdar os pontos conquistados pela retirante até o momento, muito motivado pela disputa entre as marcas de Woking e a gaulesa na disputa entre as escuderias. Para o legendário time de Grove, a possível questão econômica, pois Lawrence patrocina a carreira do filho, que compete pelos carros de Sir Frank, que passará a perder o serviços do canadense, além do aporte financeiro do magnata norte-americano.

Danças das cadeiras promete bastante agito entre Bélgica e Itália

Como as mudanças foram sem tempo suficiente da compra da Force India até o Grande Prêmio da Bélgica, não houve tempo para ocorrerem as prováveis mudanças, que provavelmente mexerá nas vagas na ingressante Racing Point, Williams, e talvez a McLaren. Provavelmente, Lance Stroll assume a vaga de Esteban Ocon, que poderá ir para o posto do canadense na equipe de Grove, ou até para Woking, que poderá deixar Stoffel Vandoorne a pé. Os carros de Frank e Claire poderão promover Robert Kubica, ou contar com Ocon, havendo uma troca.

Muitos movimentos ainda prometem ocorrer até a disputa em Monza.

domingo, 29 de julho de 2018

Lewis Hamilton vence na Hungria

Britânico e equipe Mercedes viram na última parte da classificação e garantem vitória em solo magiar

Após uma virada na parte final da classificação, quando choveu em Hungaroring, a dupla das flechas de prata garantiu os dois lugares na primeira fila, com Hamilton conquistando mais uma pole. O inglês perdeu a dianteira apenas quando foi aos boxes trocar de pneus. O finlandês Valtteri Bottas vinha muito bem até os giros finais, quando ficou sem pneus e foi superado pela dupla da Ferrari e pelo australiano Daniel Ricciardo, em uma disputa dura com o australiano, em que ambos chegaram a se tocar. Ainda abalados pela morte de Sergio Marchionne, a dupla de Maranello levou Sebastian Vettel ao 2º lugar, a frente de Kimi Raikkonen.

Apesar do abandono de Max Verstappen com problemas de potência, os rubrotaurinos ainda comemoraram a 6ª colocação do francês Pierre Gasly, muito bem desde as tomadas para o grid. Brendon Hartley andou bem, mas não conseguiu somar pontos. A dupla da Haas levou os dois carros aos pontos, com o dinamarquês Kevin Magnussen ficando com a 7ª posição, enquanto Romain Grosjean fechou a zona de pontuação. O espanhol Carlos Sainz Junior salvou o dia da Renault, com o 9º posto.

Com muito equilíbrio no pelotão intermediário, a dupla da McLaren se aproveitou bem da estratégia para chegar perto de levar os dois carros aos pontos. Fernando Alonso ainda garantiu um 8º lugar, enquanto o belga Stoffel Vandoorne vinha seguindo o asturiano, quando teve problemas mecânicos, parando na 52ª volta, seguindo sem pontuar desde o Azerbaijão. Mesmo com um equipamento limitado e não conseguindo boas colocações nas largadas, os dois pilotos do time de Woking não conseguem resultados mais expressivos.

Resultados:

Pole: Lewis Hamilton, Mercedes
Melhor Volta: Daniel Ricciardo, Red Bull TAG Heuer

Corrida:
1º) Lewis Hamilton, Mercedes
2º) Sebastian Vettel, Ferrari
3º) Kimi Raikkonen, Ferrari
4º) Daniel Ricciardo, Red Bull TAG Heuer
5º) Valtteri Bottas, Mercedes
6º) Pierre Gasly, Toro Rosso Honda
7º) Kevin Magnussen, Haas Ferrari
8º) Fernando Alonso, McLaren Renault
9º) Carlos Sainz Junior, Renault
10º) Romain Grosjean, Haas Ferrari

Classificação

Mundial de Pilotos
1º) Lewis Hamilton, 213 pontos
2º) Sebastian Vettel, 189 pontos
3º) Kimi Raikkonen, 146 pontos
4º) Valtteri Bottas, 132 pontos
5º) Daniel Ricciardo, 118 pontos
6º) Max Verstappen, 105 pontos
7º) Nico Hulkenberg, 52 pontos
8º) Kevin Magnussen, 45 pontos
9º) Fernando Alonso, 44 pontos
10º) Sergio Perez, 30 pontos
11º) Carlos Sainz Junior, 30 pontos
12º) Esteban Ocon, 29 pontos
13º) Pierre Gasly, 26 pontos
14º) Romain Grosjean, 21 pontos
15º) Charles Leclerc, 13 pontos
16º) Stoffel Vandoorne, 8 pontos
17º) Marcus Ericsson, 5 pontos
18º) Lance Stroll, 4 pontos
19º) Brendon Hartley, 2 pontos

Mundial de Construtores
1º) Mercedes, 345 pontos
2º) Ferrari, 335 pontos
3º) Red Bull TAG Heuer, 223 pontos
4º) Renault, 82 pontos
5º) Haas Ferrari, 66 pontos
6º) Force India Mercedes, 59 pontos
7º) McLaren Renault, 52 pontos
8º) Toro Rosso Honda, 28 pontos
9º) Sauber Alfa Romeo, 18 pontos
10º) Williams Mercedes, 4 pontos